Você dá oferta corretamente em sua igreja?

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017


No antigo testamento a oferta era feita com animais ou alimentos, conforme vemos em Levíticos 7. Essa oferta podia ser para expiação de pecados ou como gratidão ao Senhor. Para cada tipo de oferta, havia um tipo de animal ou alimento que era entregue aos sacerdotes no templo. Após a destruição do templo essas ofertas de animais foram sendo esquecidas, já que os judeus não tinham um local para ofertar ao Senhor.

 Para os que crêem em Jesus os sacrifícios de animais foram abolidos devido Ele mesmo ter se sacrificado pelos nossos pecados, porém as ofertas de gratidão não foram. Vide 2 Corintios 9:7

Quando ofertamos temos que ter em mente o porquê o fazemos, não se pode ofertar de qualquer maneira. Ofertar também é um ato de amor a Deus.

Quando ofertamos estamos dizendo: “Senhor, por ser grato a ti eu oferto o que tenho de melhor para ajudar sua obra a crescer”. A igreja física precisa se manter, é necessário pagar o aluguel, luz, água e outras despesas e quem mantem a obra do Senhor são os membros. Sem essa ajuda é impossível a igreja física sobreviver.

 Então separe sempre em casa e não na igreja, um valor que te custe alguma coisa e não aquilo que está “sobrando” em sua carteira.
Separe um dinheiro como uma oferta de gratidão ao Senhor. Eu costumo deixar de comprar algo pra mim e oferto ao Senhor. Isso está me custando algo, entende? Está me custando um vestido, um sapato, etc.

Porque se eu der ao Senhor qualquer coisa, como posso dizer que é uma oferta de gratidão? Quando você dá um presente você costuma dar uma coisa boa, algo que tenha um certo valor, então como você oferta na casa do Senhor algo que não te custe nada? Como se fosse uma esmola, dar aquilo que não te fará falta nenhuma? Mude o seu pensamento!

O Senhor se agrada quando fazemos e damos a Ele o nosso melhor! Não dê a desculpa de que Deus não precisa de dinheiro... correto, Ele não precisa, mas cabe a nós manter sua obra aqui na terra. Se você pode ofertar, porque não o fazer? Quando ofertar diga: “Senhor, aqui está o melhor que eu posso te oferecer, para que sua obra aqui seja feita”.

 A bíblia diz que o Senhor abrirá uma janela de bênçãos sobre aqueles que ofertam e dizimam em sua casa e eu creio nisso, pois em minha vida tem sido assim! Hoje eu vivo pela fé, eu oferto e dizimo, depois entrego todas as minhas preocupações financeiras nas mãos do Senhor e ele nunca me decepciona! Na hora certa, Ele provê o que eu preciso.

Então, a partir de hoje repense a maneira como você oferta na casa do Senhor. Separe em casa sua oferta, se possível sacrifique algo que queira comprar, dê sua oferta com alegria, com gratidão, sabendo que sua oferta será agradável ao Senhor . Reconheça que o Senhor proverá todas as suas necessidades e creia nisso!

Seguindo esses passos, você verá a grande mudança que se dará em sua vida!

Trazei todos os dízimos (e ofertas) à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim nisto, diz o Senhor dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós uma bênção tal até que não haja lugar suficiente para a recolherdes.Malaquias 3:10


Como Jesus mudou a personalidade de seus discípulos à luz da psicologia

domingo, 19 de fevereiro de 2017


O Mestre dos Mestres tinha de revolucionar a personalidade do seu pequeno grupo para que os discípulos revolucionassem o mundo. Seria a maior revolução de todos os tempos. Mas essa revolução não poderia ser feita com o uso de armas, força, chantagem, pressões, pois estas ferramentas, sempre usadas na história, não conquistam o inconsciente. Elas geram servos, e não pessoas livres. Parecia loucura o projeto de Jesus. Era quase impossível atuar nos bastidores da mente dos discípulos e transformar as matrizes conscientes e inconscientes da memória para tecer novas características de personalidade neles. Não sabemos onde estão as janelas doentias da nossa personalidade.

Para termos uma ideia, a área equivalente à cabeça de um alfinete contém milhares de janelas com milhões de informações no córtex cerebral. Como encontrá-las? Como transformá-las? O processo é tão complicado que um tratamento psíquico demora semanas, meses, e em alguns casos anos, para ser bem-sucedido. Deletar a memória é uma tarefa fácil nos computadores. No homem ela é impossível. Todas as misérias, conflitos e traumas emocionais que estão arquivados não podem ser destruídos, a não ser que haja um trauma cerebral. A única possibilidade, como vimos, é sobrepor novas experiências no lócus das antigas – o que chamamos de reedição – ou então construir janelas paralelas que se abrem simultaneamente às doentias.

Se você tiver uma janela paralela que contém segurança, ousadia, determinação e que se abre simultaneamente às janelas do medo, do pânico, da ansiedade, você terá subsídios para superar sua crise. Se não possui essa janela, terá grande chance de se tornar uma vítima. Mas como reeditar a memória dos discípulos ou construir janelas paralelas em tão pouco tempo? Sinceramente, era uma tarefa quase impossível. Se fosse viável transportar os mais ilustres psiquiatras e psicólogos clínicos através de uma máquina do tempo para tratar dos discípulos de Jesus com sete sessões por semana, mesmo assim os resultados seriam pobres. Por quê? Por que eles não tinham consciência dos seus problemas.
 O grande desafio para o sucesso do tratamento psicológico não é a dimensão de uma doença, mas a consciência que o paciente tem da doença e a capacidade de intervenção na sua dinâmica.

Há poucos dias atendi um paciente que sofre de síndrome do pânico há dez anos. Tomou muitos tipos de antidepressivos e tranquilizantes, mas os ataques permaneceram. Depois de conhecer a sua história, expliquei-lhe o mecanismo dos ataques de pânico. Comentei sobre a abertura das janelas da memória em frações de segundos, o volume de tensão decorrente dessa abertura e o encarceramento do “eu”. Disse-lhe que o “eu” deveria sair da plateia, entrar no palco da mente no momento do ataque de pânico (foco de tensão), desafiar sua crise, gerenciar os pensamentos, criticar a postura submissa da emoção e se tornar o diretor do roteiro da sua vida. Esse processo é um treinamento. Quem o realiza reedita seu inconsciente e constrói janelas paralelas. Tem grande possibilidade de ficar livre dos medicamentos e do seu psiquiatra ou psicólogo. Sempre que treino psicólogos, enfatizo que eles devem nutrir o “eu” dos pacientes para que eles deixem de ser espectadores passivos das próprias misérias.

Os pacientes têm o direi to de conhecer o funcionamento básico da mente, os papéis da memória, a construção das cadeias de pensamentos, para serem líderes de si mesmos. Por que é tão difícil mudar a personalidade? Porque ela é tecida por milhares de arquivos complexos e contém bilhões de informações e experiências. Não possuímos ferramentas para mudar magicamente esses arquivos que se inter-relacionam multifocalmente. Quem muda as janelas do medo, da impulsividade, da timidez, do humor triste, rapidamente? Na medicina biológica alguns tratamentos são rápidos; na medicina psicológica é necessário reescrever os capítulos da história arquivados na memória. Os discípulos tinham milhares ou talvez milhões de janelas doentias. Eles frustraram seu Mestre continuamente durante mais de três anos. Jesus pacientemente os treinava.

O Mestre dos Mestres demonstrava que detinha o mais elevado conhecimento de psicologia. Conhecia o processo de transformação da personalidade. Nunca fez um milagre na personalidade humana, pois sabia que ela é um campo de reedição difícil de ser operacionalizado. Ele criou conscientemente ambientes pedagógicos nas praias, nos montes, nas sinagogas para produzir ricas experiências que pudessem se sobrepor às zonas doentias do inconsciente dos discípulos. Creio que ele realizou o maior treinamento para transformação da personalidade de todos os tempos. Ao analisar a personalidade de Jesus Cristo sob o olhar da ciência, fiquei assombrado. Tive a convicção de que a ciência foi tímida e omissa por nunca ter investigado a sua inteligência. Por isso ele foi banido das universidades, excluído da formação dos psicólogos, educadores, sociólogos, psiquiatras. Foi um prejuízo enorme.

As sociedades ocidentais tornaram-se cristãs somente no nome. Jesus Cristo programou, como um microcirurgião que disseca pequenos vasos e nervos, situações e ambientes para treinar e transformar os discípulos. Cada parábola, cada gesto diante dos marginalizados que o procuravam e cada atitude perante uma situação de perseguição eram laboratórios onde se realizava esse treinamento.

 Ele provou que em qualquer época da vida podemos mudar os pilares centrais que estruturam a nossa personalidade. Seus laboratórios eram uma universidade viva. Seu objetivo era expor espontaneamente as mazelas do inconsciente. As fragilidades apareciam, as ambições afloravam, a arrogância vinha à tona, a insensatez surgia. Seus laboratórios aceleravam o processo de tratamento psiquiátrico e psicoterapêutico.

Depois de anos de análise detalhada é que fui entender o processo usado pelo Mestre dos Mestres. Todos os seus comportamentos tinham um alvo imperceptível aos olhos. Quando era gentil com uma prostituta, ele tratava o preconceito dos discípulos. Quando era ousado em situações de risco, ele tratava a insegurança deles.

 Texto do livro: Nunca desista dos seus sonhos de Augusto Cury



Dois elementos essenciais para receber o socorro de Deus.

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017


Está escrito em Mt.14.28-32: “E respondeu-lhe Pedro e disse: Senhor, se és Tu, manda-me ir ter Contigo por cima das águas. E Ele disse: Vem. E Pedro, descendo do barco, andou sobre as águas para ir ter com Jesus. Mas, sentindo o vento forte, teve medo; e, começando a ir para o fundo, clamou, dizendo: Senhor, salva-me. E logo Jesus, estendendo a Mão, segurou-o e disse-lhe: Homem de pequena fé, por que duvidaste? E, quando subiram para o barco, acalmou o vento”.

Pedro teve a experiência sobrenatural de andar sobre as águas. Mas, quando duvidou, quase se afogou e clamou por socorro. Dois elementos essenciais para se receber o socorro, a salvação de Deus, estão envolvidos aqui. O primeiro é o reconhecimento do fracasso.

Infelizmente, muita gente está afundando, mas continua se debatendo com suas próprias forças. Pedro, porém, não hesitou um minuto, ele clamou pelo Salvador. Ele reconheceu o fracasso, o perigo em que estava, o erro cometido. Seus olhos haviam se desviado do Senhor e se voltado para as circunstâncias. O texto diz que Pedro, "sentindo o vento forte, teve medo".

Mas, felizmente, voltou novamente os olhos para o Abençoador. E o segundo elemento envolvido para receber o socorro é o reconhecimento de que Jesus é o Senhor. Pedro reconheceu que Jesus era o Senhor sobre sua vida, sobre a natureza e por isso clamou por socorro. E a resposta de Jesus foi imediata.

O V.31 prossegue, dizendo: “E logo Jesus, estendendo a Mão, segurou-o”. Mas, há muitas pessoas que querem apenas o Salvador. Elas não querem o Senhor para governar suas vidas. No entanto, saiba que Jesus só será Salvador daquele que O reconhece como Senhor.

Paulo afirmou: “Se, com a tua boca, confessares Jesus como Senhor e, em teu coração, creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo” (Rm.10.9).

Observe a sequência: Primeiro é preciso confessar a Jesus como Senhor. Depois, é preciso crer que Deus o ressuscitou dentre os mortos. Isto significa que Jesus é O Senhor que Vive e Reina hoje, em minha vida. E o resultado é infalível: “Serás salvo”. Portanto, essa é a razão porque seus olhos devem estar fixos no Abençoador – porque Ele é o Senhor e Salvador.

Deus lhe abençoe!

 Texto do instragam @edissedeus

Muita oração, muito poder, pouca oração, pouco poder...

sábado, 11 de fevereiro de 2017


Você já deve ter ouvido esse jargão no meio evangélico: “muita oração, muito poder, pouca oração, pouco poder, ”... mas porque falamos isso?

Quanto mais você conversa com uma pessoa, mais intimidade você tem com ela. Sendo que, a oração é conversar com Deus e quanto mais você conversar com Ele, mais intimidade você terá com Ele. Só que Deus não é uma pessoa comum, Ele é o Todo Poderoso e se você tem intimidade com o Todo Poderoso, consequentemente você terá o poder de Dele sobre sua vida. Entenda, isso não quer dizer que você terá poder, mas que o poder de Deus estará sobre sua vida.

A Biblia nos conta como Deus agiu na vida de grandes homens de oração. Homens como Josué que pediu a Deus e o sol parou.

Já imaginou a intimidade desse homem com Deus? Ele pediu a Deus e o sol parou quase um dia inteiro, olha que coisa tremenda!

E o sol se deteve, e a lua parou, até que o povo se vingou de seus inimigos. Isto não está escrito no livro de Jasher? O sol, pois, se deteve no meio do céu, e não se apressou a pôr-se, quase um dia inteiro. Josué 10:13

Elias orou e Deus mandou fogo no altar! Veja o que Tiago diz no capitulo 5 versículo 17 do seu livro:

Elias era homem sujeito às mesmas paixões que nós e, orando, pediu que não chovesse e, por três anos e seis meses, não choveu sobre a terra.

Elias era como eu e você, mas a diferença era a intimidade que ele tinha com Deus, através de uma vida de oração. E quando Elias orava a Deus, Deus ouvia e atendia ele!

A bíblia diz que Deus é o mesmo ontem, hoje e eternamente, então você pode estar pensando então porque Deus não atende as minhas orações? Se você procurar Deus somente quando está com problemas, você não tem intimidade com Ele¹ Quando se tem intimidade, você ora em qualquer lugar, em qualquer situação, você quer a presença do Senhor todo o tempo! Isso é que é intimidade.

E o Senhor procura por homens e mulheres que queiram ter essa intimidade com Ele. Ele procura verdadeiros adoradores. Pessoas que vivam para agradá-Lo, para cumprir aquilo que Ele determina para suas vidas. Seja essa pessoa! Busque mais a Deus, ore, jejue e você verá a diferença em sua vida.

Autora do texto: Wilma Banegas      

Só uma semente

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017


Pois quem despreza o dia das coisas pequenas?... Zc 4.10

Provavelmente a maioria de nós que está esperando em Deus por alguma coisa, pode ver a evidência de um pequeno começo: uma sementinha, uma nuvem do tamanho da mão de um homem.

Alegre-se com a semente; ela é um sinal de coisas grandes que virão.

Não amaldiçoe sua semente murmurando. Deus nos dá semente, alguma coisa que produza em nós esperança, uma pequena coisa, talvez, mas alguma coisa é melhor que nada. Devíamos dizer: "Senhor isto é somente uma coisinha, mas obrigado por me dar alguma esperança, alguma coisa à qual me apegar. Obrigado, Senhor, por um começo". Pegue essa semente e plante-a, crendo.

O Espírito Santo me mostrou que eu estava jogando fora muitas de minhas sementes. Quando desprezamos alguma coisa, damos pouca consideração a ela. Não a notamos e a consideramos como nada.

Não cuidamos dela. Se não cuidarmos do que Deus nos dá, nós o perderemos. Se perdermos a semente, nunca veremos a colheita. Hebreus 13.5 diz, na essência: "Contente-se com o que você tem".

Vamos ser como Paulo: vamos aprender a viver tanto na escassez como na abundância - e estar contentes em qualquer circunstância, sabendo que cada pedaço é uma parte do quadro inteiro.

A Bíblia diz: Eu [Deus] nunca te deixarei. E por isso que podemos ficar contentes - pela fé - durante o pequeno começo. Sabemos que o Senhor é o Autor e o Consumador. (Hb 12.2.)

 O que Deus começa ele termina. (Fp 1.6.) Ele fará isso por nós - se mantivermos nossa fé firme até o final. (Hb 3.6.)

Do livro: "Eu e minha boca grande" ( Joyce Meyer)
 

Não despreze os pequenos sinais de Deus

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017


Elias acreditou que a chuva desceria sobre Israel, quando seu servo lhe disse que havia uma nuvem no céu do tamanho da mão de um homem! 1 Reis 18:44

Ele não duvidou que aquela pequena nuvem, traria uma grande chuva. Havia três anos que não chovia em Israel, mas Deus disse ao profeta que mandaria chuva. E Elias não duvidou. E quando ele ouviu do seu servo o pequeno sinal de uma nuvem do tamanho da mão de um homem, ele teve a certeza que viria uma grande chuva para abençoar aquela terra seca.

Muitas pessoas esperam grandes sinais, mas sua benção está no pequeno sinal que Deus está lhe dando. Você pediu uma cura, mas Deus te deu apenas um pequeno resultado... Creia que sua cura completa chegou, creia que grandes coisas o Senhor fará!

Muitas vezes o Senhor quer provar a nossa fé, Ele quer nos provar no pouco para nos colocar no muito. Quando você despreza os pequenos sinais, você poderá perder uma grande benção! Esteja atento aos pequenos sinais de Deus.

Você pediu um carro, mas não veio aquele carrão, veio um carrinho simples, mas é o pequeno sinal de Deus em sua vida! Agradeça e siga em frente crendo que da mesma maneira que Deus te deu aquele simples carro, ele poderá te dar o carro do seu sonho! Seja grato e confie.

Elias não olhou para as circunstancias, ele conhecia o Deus que ele servia. Ele sabia que se Deus tinha lhe dito que mandaria uma grande chuva, aquela pequena nuvem era o sinal de que o Senhor cumpriria sua promessa. Mandaria chuva para que houvesse alimentos na terra, para que os animais pudessem ter pastos.

Chuva sempre foi sinal de benção na Biblia. E Deus nos promete chuvas de bênçãos e temos que crer Nele. Se Ele prometeu Ele vai cumprir, basta crermos e ficarmos na posição, sem murmurar e sem desprezar os pequenos sinais de Deus.

Autora do texto: Wilma Banegas
 

Como encontrar o amor da minha vida

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017



Já conheci muitas pessoas que oram ao Senhor pedindo um(a) esposo ( a) e passam anos sem encontrar. Mas se você começar a prestar atenção no porquê, logo verá que são pessoas que julgam pela aparência. Deus manda a pessoa especial, que tem todos os atributos pra fazer aquela pessoa feliz, mas por julgar pela aparência exterior a pessoa deixa a oportunidade passar. Isso é muito triste.

Deus não nos vê pela aparência, Ele vê o nosso coração. Sendo assim, Ele não está preocupado em nos enviar aquele “boymagia” ou aquela “gata” maravilhosa por fora, mas podre por dentro. Temos que dar oportunidade para a pessoa que se aproxima de nós, seja feia ou bonita. 

Muitas vezes aquela pessoa que a primeira vista você nem sentiu atração nenhuma, será o grande amor de sua vida. Mas pra saber, você precisa dar uma chance de conhecer aquela pessoa melhor, sem julgamentos, apenas avaliando seu caráter, sua personalidade e continuar orando para Deus abrir seus olhos e coração para saber se aquela é a pessoa que Ele escolheu pra você .

Vou lhes contar o meu testemunho.

Quando conheci meu esposo, não fiquei muito animada. Ele era bem magrinho, não tinha muitos atrativos, mas eu havia orado ao Senhor pedindo um homem de Deus para ser meu esposo e resolvi conhecer melhor aquele rapaz que se interessou por mim. No início achei que só seria amizade mesmo, a gente conversava, ele sempre foi bem comunicativo e aos poucos ele foi me conquistando. Quando dei por mim, estava apaixonada por ele. Hoje eu não tenho dúvida nenhuma que foi Deus que enviou ele pra me fazer feliz. Meu esposo me respeita, é carinhoso, romântico, honesto, trabalhador, e engordou alguns quilinhos e hoje eu o acho o homem mais lindo do mundo!

Já imaginou se lá no início eu o julgasse pelo que eu estava vendo? Teria deixado passar a oportunidade de conhecer o amor da minha vida! Isso é sério. Não julgue pela aparência, olhe para o caráter, para a personalidade, dê uma chance para a pessoa. De que adianta ter uma pessoa linda ao seu lado que não te respeita, que te trata como um lixo? Pense nisso!

Peça a Deus que lhe abra os olhos e o coração, que você não deixe passar a oportunidade quando ela aparecer, e não julgue antes de conhecer a pessoa. Se você der oportunidade e não sentir mesmo nada, tudo bem, pelo menos você terá a certeza que não era aquela pessoa, mas se você nem mesmo der uma chance, como vai saber?


Autora do texto: Wilma Banegas